4 maneiras de os funcionários responderem à automação

05/09/2018
Imagem retirada de https://www.itforum365.com.br/tecnologia/4-maneiras-de-os-funcionarios-responderem-automacao/
Imagem retirada de https://www.itforum365.com.br/tecnologia/4-maneiras-de-os-funcionarios-responderem-automacao/

Não há dúvida de que a automação está mudando a natureza do trabalho. Mas os robôs estão realmente vindo para assumir funções? Uma das narrativas mais populares é que os empregos mal remunerados estão condenados, enquanto as profissões com formação universitária permanecerão praticamente intocadas.

Scott Latham e Beth Humberd, do MIT Sloan, apontam que os analistas geralmente se concentram nos salários e na educação como os principais indicadores da evolução do emprego, juntamente com o potencial das organizações para aumentar a eficiência e reduzir os custos, alterando ou cortando empregos. Mas nossa pesquisa aponta para uma explicação mais detalhada.

Uma revisão da literatura acadêmica e discurso público sobre automação revelou consideração limitada de riscos por profissão. Então, fizemos nossa comparação, codificando 50 profissões (incluindo muitas de nossa pesquisa bibliográfica) de acordo com o tipo de trabalho oferecido e as habilidades que eles usaram para criar uma estrutura que ajuda os trabalhadores a avaliar que tipo de ameaça a automação representa para eles.

Identificamos quatro caminhos da evolução – os empregos serão interrompidos, deslocados, desconstruídos ou duráveis - e descobrimos que o valor é mais preditivo da mudança do que salários, educação, eficiência, custo ou outros fatores.

Contrariando a crença popular, não são necessariamente trabalhadores de colarinho azul ou não-universitários que serão mais ameaçados pela automação nas próximas décadas. Nossa análise sugere que um encanador pode ver menos perturbações do que um profissional legal. Simplesmente instruir todos a se engajarem na educação continuada e no desenvolvimento de habilidades é negligente. Os trabalhadores devem entender os quatro caminhos da evolução do emprego – e os fatores por trás de cada caminho – se desejam se adaptar.

Compreender os quatro caminhos
Um funcionário usa um conjunto básico de habilidades para entregar valor de alguma forma a um destinatário – seja externamente a um cliente ou dentro de uma organização. Os trabalhos evoluem à medida que as percepções de valor desses consumidores flutuam em duas dimensões: habilidades essenciais e mecanismo de entrega, ou o que chamamos de forma de valor.

Para alguns trabalhos, os conjuntos de habilidades principais incluem uma base de conhecimento. Outros envolvem habilidades pessoais e capacidade de construir relacionamentos, em vez de conhecimentos técnicos. Habilidades que podem ser facilmente padronizadas, codificadas ou rotineiras provavelmente serão automatizadas.

Aquelas que envolvem resolução (prática ou em tempo real) de problemas, são em menor número, porque o desenvolvimento de ferramentas sofisticadas o suficiente para lidar com tal ambiguidade é muito dispendioso e trabalhoso ou tecnologicamente fora de alcance.

Fonte: IT Fórum 365