Dennis Herszkowicz, da Totvs, tem R$ 1 bilhão para gastar e quer comprar novos negócios

03/06/2019
Imagem retirada de https://www.startse.com/noticia/startups/65108/dennis-herszkowicz-totvs-aquisicao
Imagem retirada de https://www.startse.com/noticia/startups/65108/dennis-herszkowicz-totvs-aquisicao

O CEO da Totvs, Dennis Herszkowicz, se prepara para um novo ciclo de crescimento via aquisições, após ter captado 1 bilhão de reais, com oferta primária de ações, na semana passada. “Vamos investir tudo em aquisições”, disse Herszkowicz à Reuters.

A estratégia de Herszkowicz para as aquisições tem duas frentes principais. A primeira delas visa ampliar a oferta de serviços nos setores de saúde, educação, agronegócio, manufatura e varejo. São segmentos em que a Totvs já atua.

O executivo, no entanto, quer fortalecer um segmento em que a Totvs pode ganhar bastante chão, o de fintechs. Na empresa de tecnologia a divisão é chamada de “techfin” e atende prestadores de serviços financeiros.

Herszkowicz conhece bem o mundo das finanças e o segmento de fintechs. Portanto, é de se esperar que ele dedique boa parte de sua energia avaliando possibilidades de sinergias para a divisão techfin.

Antes de assumir a posição de CEO da Totvs, em novembro, ele atuou como CFO (executivo chefe para a área de finanças) da Linx, onde foi responsável pela abertura de capital da empresa e a condução de mais de 20 aquisições.

Entre 2017 e 2018, foi vice-presidente executivo de Novos Mercados, unidade de negócios focada em fintechs.

A Totvs, no entanto, não pretende atuar diretamente com os usuários finais dos serviços financeiros, mas atuar como fornecedor dessa indústria. Segundo Herszkowicz, a empresa de tecnologia não quer se tornar um banco, mas sim trabalhar na cadeia financeira.

No começo do mês, a Totvs anunciou a formação de uma joint venture com a plataforma de comércio eletrônico VTEX, para atender a crescente demanda por digitalização dos negócios.

No primeiro trimestre, a Totvs teve receita líquida de R$ 563,5 milhões, alta de 10% na comparação ano a ano.

Fonte: Startse, escrita por José Eduardo Costa